terça-feira, 24 de junho de 2014

Salvando vidas...



Há tempos defini esta foto como minha imagem de capa no FB, como demonstração de apoio ao trabalho da Força Aérea, em especial da Esquadra 751 (e também da 502) no salvamento de vidas por todo o país mas, de uma forma muito especial, nas águas da Madeira.

Na altura serviu igualmente como um (fraco...) protesto contra os cortes e limitações a que sujeitam cada vez mais as diversas Instituições do país e neste caso específico a Força Aérea, a cortes cegos e completamente descabidos que a coberto de cortes "nas gorduras" deixam tantos desperdícios e benefícios intocados e cortam nas despesas realmente importantes.

Esta temática assumiu um destaque dramático este fim de semana com a notícia de que um homem teria falecido nos Açores, por falta de Evacuação por parte da Força Aérea...precisamente devido ao facto do Helicóptero EH-101 destacado naquele arquipélago estar a efectuar uma missão de Evacuação em alto-mar....nos mares da Madeira, já que o EH-101 actualmente destacado no AM3 - Porto Santo, encontra-se sem comandante....

Pensei em escrever algo em defesa dos Homens e Mulheres que trabalham todos os dias "Para que outros vivam... ", trabalham com cada vez mais limitações e dificuldades impostas pelos tais cortes cegos definidos por políticas e governantes, até porque a imagem que se tentará passar cá para fora é a de que a FAP não cumpriu a missão, com os principais culpados destas políticas a sacudir a água do capote...

De qualquer forma, em vez disso vou transcrever um texto que me parece bastante esclarecedor, por parte da AOFA:
"Dada a sua extraordinária gravidade e por forma a que todos os Portugueses estejam verdadeiramente informados, a AOFA apela a que esta notícia, bem como o esclarecimento seguinte, sejam partilhados pelo maior número possível de pessoas.

Homem ferido morreu na ilha S. Jorge à espera de meios aéreos para ser transferido

http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=A%E7ores%3A+Grupo+Central&Concelho=Velas&Option=Interior&content_id=3985790&page=-1

Segundo as informações de que dispomos esta situação que levou à morte deste concidadão tem directamente a ver com a falta de Pilotos Comandantes de EH-101 na Força Aérea Portuguesa. No sistema SAR nacional deveríamos ter 1 tripulação de EH e 1 de C295 em Porto Santo; 2 tripulações de EH e 1 de C295 nas Lajes e 1 tripulação de EH e 1 de C295 no Montijo; Temos 1 tripulação de EH (sem comandante o que é o mesmo que não estar lá) e 1 de C295 em Porto Santo; 2 tripulações de EH (só um comandante o que é o mesmo que estar lá apenas uma tripulação) e 1 de C295 nas Lajes e 1 tripulação de EH e 1 de C295 no Montijo. Na altura em que, infelizmente, teria sido necessário, o único Piloto Comandante de EH-101 existente nas Lajes tinha saído para uma outra missão de Busca e Salvamento na Madeira (onde não existe qualquer Comandante). Relembrando palavras do Ministro da Defesa há semanas atrás a gestão dos Recursos Humanos cabe ao CEMFA. Consequentemente, PALAVRAS NOSSAS, a culpa desta e de outras situações trágicas nunca será das políticas desastrosas que têm sido seguidas e que fazem com que a Força Aérea Portuguesa esteja reduzida à exiguidade de Recursos Humanos e Materiais que é absolutamente evidente, mas sim a quem gere os Recursos."

Deixo igualmente o esclarecimento emitido pelas Relações Públicas da Força Aérea, relativamente à situação referida:
"Comunicado de Imprensa

23 de junho de 2014

Esclarecimento sobre Evacuação Médica a um paciente de S. Jorge para S. Miguel


Relativamente às noticias que foram tornadas públicas sobre uma Evacuação Médica de um paciente de S. Jorge para S. Miguel que faleceu por alegadamente não existirem meios aéreos disponíveis, a Força Aérea informa que:

Foi solicitada à Base Aérea Nº4, nas Lajes, em 21 de junho de 2014 às 20H31, hora local, pelo Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, uma evacuação aérea da Ilha de São Jorge para Ponta Delgada.

Dado que a previsão para aterragem em São Jorge ocorreria depois do pôr-do-sol, a evacuação teria de ser realizada por helicóptero EH-101 Merlin destacado na Base das Lajes, uma vez que a aeronave de asa fixa C-295 não opera naquele aeródromo no período noturno. Todavia, o helicóptero EH-101 Merlin encontrava-se a cumprir uma evacuação sanitária de um tripulante de um navio localizado a cerca de 980 Km da Ilha Terceira, estando por isso indisponível.

Assim, no quadro da coordenação desta missão, o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores sugeriu que a evacuação fosse realizada a partir da Ilha do Pico, aeródromo que reúne as condições de segurança para operação noturna por aviões, opção considerada válida pela Força Aérea do ponto de vista operacional. Quando a aeronave estava pronta para descolar, foi recebida a informação que o paciente tinha falecido e por isso foi cancelada a missão.

A Força Aérea lamenta profundamente o desfecho da situação em apreço, consciente, no entanto, que colocou, como sempre, todos os seus recursos disponíveis ao dispor da segurança e bem-estar das populações."

Fica um forte abraço da minha parte a todos os que trabalham todos os dias para que vidas sejam salvas, tarefa que assume particular importância no que toca à Força Aérea, nas ilhas e mar da nossa Zona Económica...

Nenhum comentário:

Postar um comentário